Você não sabe o mal que traz a sua empresa quando contrata um coiote atravessador / Sobrinho do Esquema.

Essa é uma triste história de uma agência que perdeu horas de reunião, tempo, criação, por causa de um coiote atravessador / Sobrinho do esquema. No final de tudo, todos perdem.

Bem, não queria escrever motivado pela chateação que estou por conta desta mensagem, mas infelizmente esta é a realidade em nosso mercado.

Resumindo o caso antes das minhas considerações:

Cliente solicitou criação de material de divulgação para sua empresa. Depois de 3 briefing com o cliente e no quarto que éramos para finalizar o contrato, o carinha da gráfica ofereceu o o famoso “pacotão arte + impressão” por módicos 70% mais barato, e ai está o resultado.

Quando criei esta page foi exatamente para isso: Para colocar em evidencia os bastidores das agências de marketing e desenvolvimento web onde rola uma puta prostituição por parte dos clientes e de alguns profissionais e como casos assim faz com que percamos um pouco da alegria do dia a dia.

Bem, vamos as considerações.

O cliente não percebe o mal que faz a sí mesmo ao não optar por seguir os elos corretos nesta corrente:

Cliente + especialista em marketing + especialista em arte final + gráfica = Resultados que superam expectativas.

Mas, quando é quebrado essa corrente por alguns dos elos é praticamente certo que a campanha está fadada ao erro e ao fracasso.

A Pergunta é: Quem vai sair na frente?

  1. O Cliente que produz o material por si próprio ou com a ajuda do arte finalista.

  2. O Cliente que busca a ajuda de uma equipe de profissionais da área para desenvolver o material.

Quando ele passa direto pra gráfica, deixando para trás a opção dois, ele esquece que ao contratar uma agência especializada, seu material não será control C e control V, e sim, será um material baseado na experiencia e nos estudos de pessoas que buscam a cada dia estar atento ao mercado. Um material feito em agência passa por várias etapas de criação e cito algumas das mais importantes:

  1. Pesquisa de mercado (para conhecer o produto e o cliente final)

  2. Criação da campanha de marketing (baseada na pesquisa)

  3. Editoração (contextualização e linguagem de acordo com a necessidade da campanha – é diferente um material para uma pizzaria de uma dupla sertaneja)

  4. Criação de artes (não posso colocar pessoas sorrindo em material de um funerária, como não posso colocar pessoas de luto em material de hospital, ou seja, a criação da arte é baseada em todo o processo anterior, com um material eficaz de marketing.)

  5. Finalização. (onde se reúne toda a equipe envolvida e é feita toda a revisão da campanha e é aprovado – um voto a desfavor, faz com se se repense toda a campanha e onde pode ser melhor aplicado o material.)

Em todo caso, o que citei acima é apenas uma parte de todo o processo envolvido: Cafés, briefing com o cliente, provas, desaprova, refaz, mais café, outro briefing, mais café, desaprova de novo, gasolina, reunião sábado a tarde, cerveja, mais briefing e assim vai.

Em todo caso, o que citei acima é apenas uma parte de todo o processo envolvido: Cafés, briefing com o cliente, provas, desaprova, refaz, mais café, outro briefing, mais café, desaprova de novo, gasolina, reunião sábado a tarde, cerveja, mais briefing e assim vai.

O que o cliente deixa de entender é que todo esse processo leva a uma única certeza: O Sucesso da campanha e o retorno financeiro a seu negócio!

Quando ele pensa que economizando 30 ou 50 por cento ao ir direto na gráfica, é porque ele ainda não somou o efeito a curto, médio e longo prazo do resultado da campanha realizada por uma agência:

Maior captação de cliente final
Maior eficiência na campanha
Maior finalização de vendas (por ter atingido o público correto)
Maior retorno financeiro

Sobre o carinha da gráfica, ele também perde:

Quando ele tenta ser experto e passar por cima da agência, ele perde um parceiro em potencial, ele perde com o cliente que não terá retorno e poderá chegar um momento em que não terá como realizar novos serviços e perde com a qualidade na criação de material. Perde na demanda de serviços. ( com a grande quantidade de material a ser criado acaba tornando o control C e Control V com alterações de cores a principal ferramenta do arte finalista, então Freepik não conta e faz com que não possa fechar novos trabalhos, o qual seria possível se mantivesse no seu papel de gráfica e impressora)

Para finalizar: Perdemos todos.

Perde a empresa, a agência, a gráfica, o cliente final e principalmente a economia. Pois um material publicitário bem realizado é sinal de compras e vendas e isso só significa uma coisa: Investimentos e mais aquecimento da economia.

Bem, não é minha ideia doutrinar ninguém a isso ou aquilo, mas sim fazer com que todos os envolvidos reflitam se não é melhor que cada um mantenha-se em seu quadrado e assim o final é feliz para todos os envolvidos.

Para meu ex cliente, só lamento pela perca do dinheiro investido.

~ João

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.